A influência das propagandas de alimentos entre as crianças

       Apesar de variarem entre os países, os hábitos alimentares seguem uma tendência global na direção de uma alimentação cada vez mais doce e com maior densidade energética. Crianças e adultos substituem alimentos ricos em fibras e nutrientes por versões processadas em escala crescente. Além disso, a influência do fast food e outros ramos da alimentação moderna começam a afetar os padrões alimentareis infantis de inúmeros países.

       Dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional mostram que 30% das crianças não ingeriram frutas, verduras e legumes durante a semana em que foram avaliadas. Ao contrário, alimentos pouco saudáveis, como salgadinhos, doces e biscoitos recheados foram consumidos três dias ou mais durante a semana por mais de 50% dos pesquisados. A pesquisa foi feita com 26 mil crianças na faixa etária de 5 a 10 anos.

Principais causas

       Um dos principais motivadores dessas transformações é a televisão que, juntamente com os anúncios publicitários, promovem hábitos alimentares pouco saudáveis. Ao direcionarem, durante programas infantis, propagandas de alimentos industrializados e de baixo valor nutricional, a mídia faz com que as crianças associem a diversão com essas comidas, estimulando sua ingestão e aquisição e, consequentemente, reduzindo o consumo de produtos saudáveis.

       No Brasil, jovens passaram aproximadamente cinco horas por dia assistindo TV. Nesse momento, uma exposição de 30 segundos já é suficiente para influenciar a escolha de crianças a determinado alimento.

Segundo levantamento realizado pelo Criança e Consumo feito em 2010, durante 10 horas de programação infantil próximo ao Dia das Crianças, os pequenos foram expostos a 1.100 inserções comerciais, sendo 7,6% de alimentos.

       Para comprovar a influência entre propaganda e obesidade, já foram feitos inúmeros de estudos tanto em terras brasileiras quanto em outros países. Como resultado, grande parte das pesquisas verificou que as crianças dão mais preferência aos alimentos que assistem na televisão do que as comidas que seus pais a estimulam a ingerir.

Fontes:
Scielo – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732012000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
Meu Nutricionista – http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2887
Mais Equilibrio – http://maisequilibrio.terra.com.br/propaganda-de-alimentos-limitar-e-preciso-2-1-1-512.html

Influence of advertising and the media in infant feeding

       Although they vary between countries, eating habits follow a global trend towards sweets and foods with higher energy values. Children and adults replace foods rich in fiber and nutrients with processed foods. Furthermore, the influence of fast food and other branches are affecting the eating habits of children of many countries.

       Data from the Food and Nutrition Surveillance System show that 30% of children did not eat fruits and vegetables during the week in which they were evaluated. In contrast, more than 50% consumed unhealthy foods like chips, candy and cookies, three or more days during the week. The survey was conducted with 26 000 children aged 5-10 years.

Main causes

       One of the main responsible for these changes is that the television that, along with its advertisements, promote unhealthy eating habits. By targeting, during children’s programs, advertisements for processed foods of poor nutritional value, the media is inducing the children to link fun with these foods, stimulating their intake and acquisition and, consequently, reducing the consumption of healthy products.

       In Brazil, young people spend about five hours a day watching TV. At this time, a 30 seconds advertisement is enough to influence food choice.

According to a survey done by Child and Consumption in 2010, during 10 hours of children’s TV shows, near Children’s Day, children were exposed to 1,100 advertisements, being 7.6 % on food.

       To prove the influence between advertising and obesity, numerous studies have been done in Brazilian and in other countries. As a result, researches show that children prefer foods that they see on TV rather than the food provided by their parents.

Fontes:
Scielo – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732012000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
Meu Nutricionista – http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2887
Mais Equilibrio – http://maisequilibrio.terra.com.br/propaganda-de-alimentos-limitar-e-preciso-2-1-1-512.html

A influência das propagandas de alimentos entre as crianças

Apesar de variarem entre os países, os hábitos alimentares seguem uma tendência global na direção de uma alimentação cada vez mais doce e com maior densidade energética. Crianças e adultos substituem alimentos ricos em fibras e nutrientes por versões processadas em escala crescente. Além disso, a influência do fast food e outros ramos da alimentação moderna começam a afetar os padrões alimentareis infantis de inúmeros países.

Dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional mostram que 30% das crianças não ingeriram frutas, verduras e legumes durante a semana em que foram avaliadas. Ao contrário, alimentos pouco saudáveis, como salgadinhos, doces e biscoitos recheados foram consumidos três dias ou mais durante a semana por mais de 50% dos pesquisados. A pesquisa foi feita com 26 mil crianças na faixa etária de 5 a 10 anos.

Principais causas

Um dos principais motivadores dessas transformações é a televisão que, juntamente com os anúncios publicitários, promovem hábitos alimentares pouco saudáveis. Ao direcionarem, durante programas infantis, propagandas de alimentos industrializados e de baixo valor nutricional, a mídia faz com que as crianças associem a diversão com essas comidas, estimulando sua ingestão e aquisição e, consequentemente, reduzindo o consumo de produtos saudáveis.

No Brasil, jovens passaram aproximadamente cinco horas por dia assistindo TV. Nesse momento, uma exposição de 30 segundos já é suficiente para influenciar a escolha de crianças a determinado alimento.

Segundo levantamento realizado pelo Criança e Consumo feito em 2010, durante 10 horas de programação infantil próximo ao Dia das Crianças, os pequenos foram expostos a 1.100 inserções comerciais, sendo 7,6% de alimentos.

Para comprovar a influência entre propaganda e obesidade, já foram feitos inúmeros de estudos tanto em terras brasileiras quanto em outros países. Como resultado, grande parte das pesquisas verificou que as crianças dão mais preferência aos alimentos que assistem na televisão do que as comidas que seus pais a estimulam a ingerir.

 

Fontes:
Scielo – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732012000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
Meu Nutricionista – http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2887
Mais Equilibrio – http://maisequilibrio.terra.com.br/propaganda-de-alimentos-limitar-e-preciso-2-1-1-512.html

Influence of advertising and the media in infant feeding

Although they vary between countries, eating habits follow a global trend towards sweets and foods with higher energy values. Children and adults replace foods rich in fiber and nutrients with processed foods. Furthermore, the influence of fast food and other branches are affecting the eating habits of children of many countries.

Data from the Food and Nutrition Surveillance System show that 30% of children did not eat fruits and vegetables during the week in which they were evaluated. In contrast, more than 50% consumed unhealthy foods like chips, candy and cookies, three or more days during the week. The survey was conducted with 26 000 children aged 5-10 years.

Main causes

One of the main responsible for these changes is that the television that, along with its advertisements, promote unhealthy eating habits. By targeting, during children’s programs, advertisements for processed foods of poor nutritional value, the media is inducing the children to link fun with these foods, stimulating their intake and acquisition and, consequently, reducing the consumption of healthy products.

In Brazil, young people spend about five hours a day watching TV. At this time, a 30 seconds advertisement is enough to influence food choice.

According to a survey done by Child and Consumption in 2010, during 10 hours of children’s TV shows, near Children’s Day, children were exposed to 1,100 advertisements, being 7.6 % on food.

To prove the influence between advertising and obesity, numerous studies have been done in Brazilian and in other countries. As a result, researches show that children prefer foods that they see on TV rather than the food provided by their parents.

 

Fontes:
Scielo – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732012000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
Meu Nutricionista – http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2887
Mais Equilibrio – http://maisequilibrio.terra.com.br/propaganda-de-alimentos-limitar-e-preciso-2-1-1-512.html